Home / Direito de Resposta e de Rectificação

Direito de Resposta e de Rectificação

Na sequência da notícia publicada na edição do dia 4 de janeiro, do Correio Económico, sob o título “Passageiros Pagantes ficaram atrás para embarcarem convidados do Comandante”, vem o Conselho de Administração do Grupo SATA esclarecer o seguinte:

1 – A notícia em referência contém imprecisões graves e ofensivas do bom nome da SATA Internacional – Azores Airlines, dos seus trabalhadores e da sua Administração, que urge esclarecer e retificar.

2 – Contrariamente ao mencionado na peça, no dia 28 de dezembro o Comandante Duarte Miquelino não efetuou qualquer voo entre Lisboa e Ponta Delgada, fê-lo sim no dia 29 de dezembro como passageiro posicionado para realizar, no exercício das funções de piloto, o voo entre Ponta Delgada e Toronto.

3 – O Comandante Duarte Miquelino disponibilizou-se para realizar o voo entre Ponta Delgada e Toronto em benefício da regularidade da operação da SATA Internacional - Azores Airlines, pois que se tratava de um voo extraordinário ao seu planeamento, tendo-se feito acompanhar, em ambos os voos, de dois familiares, a quem foi reconhecido o direito a Facilidades de Transporte de acordo com as normas e procedimentos vigentes na empresa.

4 – No referido voo entre Lisboa e Ponta Delgada foram também aceites e embarcados mais dois passageiros ao abrigo de Facilidades de Transporte, mais uma vez de acordo com as normas e procedimentos vigentes na empresa.

5 – O embarque das pessoas a quem foi reconhecido o direito a Facilidades de Transporte – os dois familiares do Comandante Duarte Miquelino e os outros dois passageiros –, foi efetuado sem preterição de quaisquer passageiros pagantes, com reserva confirmada ou em lista de espera, em quaisquer dos mencionados voos.

6 – Aliás, a preterição de passageiros pagantes é tida como uma irregularidade e como tal teria de estar obrigatoriamente assinalada nos relatórios de escala, sendo que dos relatórios das referidas escalas nada consta.

7 – Portanto, em conclusão, nos voos entre Lisboa e Ponta Delgada e Ponta Delgada e Toronto do dia 29 de dezembro, o embarque dos passageiros cumpriu com as normas e procedimentos em vigor na SATA Internacional - Azores Airlines, não correspondendo à verdade a alegação de que foram deixados para trás passageiros pagantes para dar prioridade de embarque a outros passageiros a quem foi reconhecido o direito a Facilidades de Transporte ou, como refere a notícia, a “convidados”.